A energia solar liderou a expansão da matriz elétrica mundial em 2019 ao adicionar 118 GW em potência instalada no mundo, segundo levantamento da consultoria BloombergNEF (BNEF) divulgado nesta terça-feira, 1º de setembro. Os dados completos constam no relatório Power Transition Trends 2020.

No ano passado, a energia solar de grande e pequeno porte representaram 45% da expansão da matriz elétrica mundial, enquanto as fontes fósseis, 25%. Ao todo, 81 países construíram ao menos 1 MW de energia solar no último ano. As fotovoltaicas dominaram a expansão da matriz elétrica em vários países, incluindo Austrália, Itália, Namíbia, Uruguai e EUA.

A energia solar no mundo cresceu de 43,7 GW (2010) para 651 GW ao final de 2019, ultrapassando a fonte eólica (644 GW). A matriz elétrica mundial ainda é liderada pelas térmicas a carvão (2.089GW), seguida por usinas a gás natural (1.812 GW) e hidrelétricas (1.160 GW).

“Quedas significativas nos custos dos equipamentos solares, isto é, os módulos que são colocados nos telhados e em grandes usinas, tornaram esta tecnologia amplamente disponível para residências, empresas e redes”, disse Luiza Demôro, analista da BNEF e autora principal do estudo. “A energia solar fotovoltaica é onipresente e se tornou um fenômeno mundial.”

“Quedas significativas nos custos dos equipamentos solares, isto é, os módulos que são colocados nos telhados e em grandes usinas, tornaram esta tecnologia amplamente disponível para residências, empresas e redes”, disse Luiza Demôro, analista da BNEF e autora principal do estudo. “A energia solar fotovoltaica é onipresente e se tornou um fenômeno mundial.”

 

Fonte: Canal Energia


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.